domingo, 1 de abril de 2012

VILMA NISHI !!!!

Vai chegando fim de semana e meu coração vai ficando apertadinho e medroso de termos um público mixo e volume de pagantes insuficiente para o mínimo do teatro, as despesas com equipe técnica, taxas de cartão de crédito, valor cobrado por emissão de cada ingresso e todos os custos que envolvem uma produção de teatro.
É sempre uma incógnita.
O espetáculo é ADORADO por todos que assistem, a resposta do público é maravilhosa SEMPRE e sei que a grande maioria sai do teatro feliz, satisfeita e indicando a peça para os amigos, porém... O resultado de bilheteria nunca é de acordo com  que ouço do público, dos e-mail e mensagens de facebook que recebo semanalmente e do boca a boca que já se formou em torno do PARTO.
Um pecado, pois isso me leva a pensar em parar a temporada toda semana.
Uma grávida não merece trabalhar sem ganhar. Aliás, ator nenhum no mundo merece trabalhar sem ganhar mas essa é nossa triste realidade. Normalmente pagamos para estar no palco.
Ontem tive uma presença especial de mais na platéia o que me fez sentir algo maravilhoso e receber uma carga de GARRA e profundo desejo de "parir" para muita gente nessa vida ainda.
Antes de começar a apresentação pensei: " Essa é a penúltima, semana que vem encerro a temporada e vou cuidar do enxoval e quartinho do Ian. Chega de sofrer pelo Teatro !"
A decisão foi mudada depois de abraçar a Vilma.
Uma das personagens reais mais LEGAIS do espetáculo foi me prestigiar depois de muito esperá-la.
VILMA NISHI. VILMA VILMA VILMA VILMA VILMA . Viva a Vilma !
A parteira mais amada e querida entre as grávidas de São Paulo e que "fez" o parto da Tata no nascimento da Luna. E FEZ  ( sem aspas) o segundo parto no nascimento da Maia.
Luna nasceu decretando sua independência e não precisou da ajuda de ninguém. Tudo de repente, num rompante, num " CRÁ", e  Vilma por telefone orientou e acalmou Daniel, pai da Luna e da Maia.
Tudo isso é relatado na última e mais "lacrimosa" cena de " Meu Trabalho é um Parto", a cena que faz o público compreender que estamos alí não só para fazê-los gargalhar e passar um momento divertido no fim de tarde de um sábado qualquer.  Mas que nossa paixão pelo ofício de interpretar e nosso comprometimento com a VIDA nos faz compreender a necessidade de alertar a todos para a BELEZA que envolve o nascimento de um novo corpo habitado por uma alma que ocupará nosso planeta terra e certamente fará DIFERENÇA trazendo mais sentido para a existência de pelo menos duas pessoas; o papai e a mamãe.
Vilma é responsável na colaboração da chegada de muitos destes corpinhos, habitados por almas velhas, novas, que já viveram aqui, alí,  lá longe...
A presença da Vilma ontem no Renaissance fez  reNASCER em mim a chama da coragem para continuar lutando por algo que acredito muito e que merece além de elogios, prestigio, admiração, orgulho e até adoração de vários, retorno financeiro e menos agonia no peito a cada fim de semana que chega.
Sigamos em frente PARINDO aos sábados  se Deus quiser até bem próximo ao parto do Ian.
Obrigada Vilma !!

3 comentários:

  1. Ai, Veri, que lindo isso, amiga. A Vilma realmente dá essa força estranha na gente. É um ser iluminado mesmo. E sua peça é incrível, seu trabalho dos mais sérios, por mais que faça rir... vc é uma atriz com A maiúsculo e seu "Parto" merece casa lotada todos os dias! O que acontece?? Cade as grávidas deste Brasil? Isso é um assunto que interessa a todos os seres do planeta, pois um dia TODO MUNDO NASCEU, e até onde eu sei, pra nascer, precisa ter parto, né?

    Bem, amiga, quero dizer que foi um prazer ter divido a história da Luna/Vilma com vc. Se a gente conseguiu emocionar e quem sabe até conscientizar uma grávida sequer, já valeu.

    Mas fico aqui na torcida - e na ajuda na divulgação - pra que o espetáculo enfim bombe!

    Um beijo com mto carinho! Parabéns pelo Ian!

    Tata

    ResponderExcluir
  2. Ai ai ai Tatinha...
    O peso de cada cruz é algo tão individual e tão particular.
    Para conseguir o Ian tive que perder 4 bebês, já havíamos escolhido seu nome há um tempo e só agora descobrimos o significado: DEUS É GRACIOSO.
    É Eslavo e me prova o quanto tinha que ser ele mesmo e não a Maria Lua que nós tanto queriamos e esperamos.
    DEUS me agraciou e a gravidez está caminhando.
    Talvez eu tenha que "perder mais uns bebês" para ter o sucesso financeiro que o espetáculo merece. Prestígio, elogio e admiração alimentam a alma e pelo menos eles eu tenho de sobra. Agora tem que vir dinheiro.
    Terei paciência e fé e ontem fazendo SEU PARTO, vendo as pessoas rindo e chorando muito na platéia eu pensava: "Não posso parar, não posso parar. Olha o que a peça causa nas pessoas". Olhava para os olhos da Vilma, de um garoto muito jovem chorando e rindo... e só pensava " Bem vindos FILHOS"... Que delícia!
    São as ironias da vida.
    Mas não tenho do que reclamar. Tenho algo precioso de mais, algo que dinheiro nenhum compra: PRESTIGIO e ADMIRAÇÃO.
    E comentários que não tem preço. Dia 20 teve um evento de lançamento de outros livros da Editora que publicou o Parto, cada peça teve uma apresentação de 10 minutos de cena e lá estava eu no palco do Teatro Augusta com vocêm Vilma , Daniel e Luna. Acabaram as cenas e fomos para o saguão escrever dedicatórias e dar autógrafos. Chega um homem para mim e diz: " Ontem eu fui ao enterro do meu melhor amigo e hoje estou aqui vendo vc fazer essa cena tao linda que fala de nascimento e de VIDA! Obrigado, estou muito melhor!"
    Pronto... Missão cumprida.
    Seu livro e DVD estão embrulhados em lugar etratégico e a visita a vcs vai acontecer. PROMETO!
    beijossss

    ResponderExcluir
  3. Que lindo Veridiana. Entendo sua frustração. Tenho outra amiga artista plástica, pintora bastante talentosa, que vive o mesmo dilema: adora pintar os quadros dela, recebe elogios, faz exposições no Brasil e até no exterior mas até agora não "estourou" e luta com dificuldades pra pagar as contas. Vou lhe falar o que sempre digo a ela: vai atrás dos seus sonhos, persevere, uma hora a coisa deslancha. Tudo que vale a pena nessa vida leva tempo, demanda paciência. Faça como o Churchill ensinava: jamais, jamais desista!. Beijos

    ResponderExcluir